Blog

Confira nossas novidades

Fique por dentro
das Novidades

Veja outros Posts

Uso do Civil 3D para Análises Ambientais em Projetos de Infraestrutura.

Uso do Civil 3D para Análises Ambientais em Projetos de Infraestrutura.

Um dos desafios para grandes projetos de infraestrutura, é fazer com que durante sua execução o mesmo esteja dentro dos parâmetros no que diz respeito a legislação ambiental vigente, para isso é necessário que se façam analises minuciosas de dados de campo e de todas as legislações ambientais que contemplam o local onde o projeto será executado.
Para realização dessas analises, um dos grandes aliados é o software Civil 3d, devido ser muito dinâmico e por contar com uma gama de ferramentas que podem ao mesmo tempo realizar projeto de ferrovias, canais, tuneis e etc.., e ao mesmo tempo já indicar quais ajustes devem ser feitos para que atenda a legislação ambiental.
Originalmente criado pela Lei 6902/1981, as áreas de proteção ambiental são hoje reguladas pela Lei 9.985/00, o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC).
De acordo com o Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (CNUC), até junho de 2015, existiam 294 áreas de proteção ambiental no Brasil: 32 na esfera federal, 185 na esfera estadual e 77 na municipal. Alguns exemplos de APAs são: Área de Proteção Ambiental de Tamoios, APA Margem Esquerda do Rio Negro, Área de Proteção Ambiental do Ibirapuitã , Área de Proteção Ambiental Fernão Dias e a Chapada do Araripe.

Com o uso do Civil 3d, fica fácil a concepção do projeto e ao mesmo tempo a realização de ajustes, uma vez que suas ferramentas ficam interligadas, assim sendo, basta que modifique um elemento e os outros que estão conectados se ajustaram automaticamente. No exemplo das imagens acima o ajuste foi feito movendo o alinhamento e logo em seguida a superfície foi remodelada fazendo com que a cota máxima a ser alcançado estivesse abaixo da cota 500, assim respeitando o limite da APA Chapada do Araripe que é definida por cotas de altitude entre as divisas dos estados do Ceará (500 m), Pernambuco (640 m) e Piauí (480 m). Com alguns ajustes foi possível manter o projeto dentro do parâmetro da legislação.

Outro exemplo de ajuste pode ser feito diretamente no assembly, em casos que não se possa mais mover o eixo da obra, então com a seções já apresentadas é possível modificar o assembly para que esse atenda o que pede a legislação

Além de permitir uma mudança dinâmica no seu projeto, com o Civil 3d se pode fazer um anteprojeto onde já pode-se detectar possíveis problemas relacionados a questões ambientais, como: analise de topo de morro com declividade que se enquadra em área de preservação permanente, mata ciliar e nascentes que estejam amparadas pela Lei Federal nº 12.651, de maio de 2012.
Existem determinados locais onde mesmo com os recursos de alinhamentos e de assembly, fica impossível fazer com que o ajuste seja realizado, nesses casos a modificação fica mais complexa, devendo encontrar alternativas para o projeto no tipo da obra, para isso elabora-se uma nova assembly que seja adaptada para um novo tipo de seção, é o caso em que se alterna entre seções abertas para seções fechadas, por exemplo, trocando canais ou ferrovias por tuneis, aquedutos ou sifões.

Além do projeto principal da obra, deve-se também pensar em projetos secundários que atendam às necessidades da execução, durante uma escavação nem sempre o material poderá ser reaproveitado para aterro, sendo assim há necessidade de se projetar um bota fora, onde se possa lançar todo material inservível, e para compensar o material descartado, terá necessidade de projetar jazidas em outro local ou simplesmente alargar a seção de projeto fazendo assim um empréstimo lateral.
Na imagem a seguir podemos visualizar uma vista em 3d de um projeto de bota fora criado com a ferramenta grading, onde foi possível calcular o volume de material que poderia ser lançado e que atenderia a legislação que diz que a cota máxima de lançamento seria até a cota 500.

No que diz respeito aos ajustes para se enquadrar na legislação, devido as ferramentas do Civil 3d estarem todas conectadas, fica fácil realizá-los sem perder muito tempo, uma vez que feito uma modificação no alinhamento, automaticamente essa mudança já é refletida no perfil e no corredor, e assim pode-se ir fazendo as alterações necessárias para que seu projeto atenda às necessidades das legislações.
Portanto, o uso do Civil 3d para realização de analises ambientais em projetos de infraestrutura é bastante eficiente, prático e dinâmico, uma vez que o software contem ferramentas suficiente para realizar o projeto e ao mesmo tempo detectar possíveis problemas na área ambiental, e que podem ser resolvidos com ajustes ou com alternativas de projeto.

 

Autor: Antônio Soares

Linkedin: Antônio Soares Barros
Tecnólogo em Saneamento Ambiental – FATEC Cariri Centec
CREA-CE: 061449496-6
Contatos: (88) 9 9243-5078
(88) 9 9995-9603

 Fonte: http://blogs.autodesk.com/mundoaec/uso-civil-3d-para-analises-ambientais-em-projetos-de-infraestrutura/

Deixe seu Comentário

Confira nossos Treinamentos

Fique por dentro de nossos treinamentos, clique e saiba mais

Sobre a Van Marc

Saiba mais sobre a Van Marc, clique e saiba mais

Você também pode se interessar